terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Justificação

Todos nós, cada ser humano dotado de alma e consciência, filho de pai e mãe, está condenado naturalmente à morte eterna devido ao pecado que temos por herança. Sendo assim, há dois meios de ser justificado (ser declarado justo) perante Deus: jamais ter pecado, ter nascido de virgem e jamais, em toda a sua vida, ter cometido algum erro, ou aceitar a condenação e pegar o preço pelos nossos erros. Mas isto significa viver eternamente separado de Deus. Estamos nesta situação.

Mas então, provando todo o seu amor, Deus decidiu que enviaria seu Filho para pagar este preço.
Atendendo todas as exigências (nascer livre de pecado e viver sem erro) Cristo então declarou que morreria para pagar por todos os pecados cometidos por nós. Ele se pôs debaixo do Julgamento de Deus, assim declarando que qualquer um, independente do que tenha feito, de quem seja, de onde viva ou outras coisas, pode ser justificado (ser declarado justo) se aceitar o sacrifício de Cristo como pagamento pelos seus erros.

Todos irão prestar contas no fim de suas vidas, sejam bons (receberão recompensas) ou ruins (receberão a pena), mas quem aceitou o sacrifício de Cristo para dar-lhes vida pode dormir tranquilamente, tendo a certeza que naquele dia, Cristo dirá: "estes são meus, eu os comprei com meu sangue". (Romanos 5.1)

Agora, justificados, devemos mostrar que nossa fé, que nossa decisão é genuína, vivendo de acordo com a  Justiça e o Direito, provando que nossa pena foi paga por Cristo.

Dezembro de 2014.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

A atualidade da epístola aos filipenses (Unidade na Humildade)

A Unidade na Humildade
Filipenses 2.1-11

Introdução.
A maior maravilha que testemunhamos é o amor de Deus para conosco. Não conheço alguém que, por si só se faça digno deste amor. Jesus Cristo, Senhor e Deus deixou toda a Sua glória para se tornar humano. Cheio de limitações, dores, aflições. Ele passou se Senhor para Servo.

1 – A Igreja de Filipos, na Macedônia, era uma Igreja modelo.
Como sabemos, antes, um prisioneiro deveria se sustentar. Arcar com os gastos de comida, moradia, etc. porém um homem preso não podia trabalhar: nesta lógica, um homem preso, se não tivesse alguém que o sustentasse, morria. Nas prisões de Paulo, a Igreja de Filipos o sustentou. Manteve-o levando comida, roupas.

Paulo os elogia nessa carta por este amor tão grande e verdadeiro
Ø Fp. 1.3-11

A Igreja de Filipos era bem diversa. Vemos uma judia próspera, como também uma escrava grega. Por isso, deveria ser difícil manter a unidade. Paulo escreveu esta carta aos filipenses tanto para agradecer pelo amor como para exortá-los a manter-se na unidade.

Ø Nesta carta Paulo também trata do trabalho. Mesmo preso, ele está alegre, pois sabe que nada do que ele sofre é em vão. E pede aos irmãos que partilhem dessa alegria! Pois ele sabia que receberia um prêmio por este sofrimento. Pede também que os irmãos se esforcem para propagar o evangelho,  motivo pelo qual ele estava preso, pois nada seria em vão.  Filipenses 2.12-18.
Nosso trabalho não é em vão!


2 -  A Unidade vem pela Humildade.
I.                   A Unidade.
Esta frase pode não parecer ter algum sentido aqui. Porém vamos mais a fundo. Por ser uma Igreja diversa, poderia haver discórdia entre os irmãos, pois congregavam senhores e servos, ricos e pobres... Há uma possibilidade de que eles se dividissem entre si – o que destruiria a Igreja. O mais rico se sentiria até mais importante para a igreja e para Cristo... E o mais pobre – não necessariamente de dinheiro, pode ser pobre em habilidades que possam ser mostradas – faria serviços para agradar aos irmãos ricos. Ou poderiam agir competindo, ou por glória própria. Por estes motivos Paulo os exorta a manterem-se em unidade.

v.3
Aqui Paulo adverte os irmãos para nada fazer por si mesmo. Nada fazer por competição, por orgulho próprio. Mas fazer por amor. Tornar-se humildes, vivendo para os outros. Viver para os outros. Este é o segredo para a vida em unidade. Agir tendo empatia pelos seus irmãos. Partilhando dos seus sofrimentos, das suas dores, das suas alegrias, das suas conquistas... Das suas felicidades...

“Alegrai com os que se alegram e chorai com os que choram”

É este o sentido deste versículo.

Vivendo e agindo como um só. Como um corpo. Tendo Cristo como a cabeça, e agindo com unidade, com um só propósito, caminhando para o céu como verdadeiros irmãos. Como Ele pediu na sua última oração:

“...para que todos sejam um, Pai, como tu estás em mim e eu em ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.
Dei-lhes a glória que me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um:
eu neles e tu em mim. Que eles sejam levados à plena unidade, para que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste como igualmente me amaste.”


O Exemplo de Cristo
II.                 A Humildade

Para garantir e para enfatizar as palavras de Paulo no início do capítulo, ele adiciona o que era um louvor da Igreja primitiva, que são os versículos de 6 a 11.

1 – Paulo cita o exemplo de Jesus Cristo para que vivamos em comunhão.

            “Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus,
que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se;
mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens.
E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz!
Por isso Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome,
para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, no céu, na terra e debaixo da terra,
e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai”.

Filipenses 2:5-11

Jesus humilhou-se por vontade própria. Deixou toda a Sua glória divina para se tornar humano. V.7. Jesus Cristo deixou de ser Senhor para se tornar Servo. Ele serviu. Se Jesus, o nosso Senhor, viveu para os outros, porque não devemos fazer o mesmo? Somos um nEle e Ele no Pai. Devemos esquecer de nós mesmos e viver para os outros.

Quanto mais nos humilharmos, maior será a nossa Glória. Como a de Cristo.
v.10 –

Por isso Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome,
para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, no céu, na terra e debaixo da terra,
e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai.

Filipenses 2:9-11.

Se pegarmos uma pedra e colocar num elástico, e puxá-la para baixo, para onde ela irá? Para o alto. Quanto mais forte empurrarmos para baixo, mais alto ela irá. Se na Física isso dá certo, conosco é a mesma coisa.

O Senhor levou toda a nossa culpa e a nossa vergonha na cruz. Ele se aniquilou e se humilhou ao limite de um ser humano. Mas quando Ele foi arremessado para o alto, depois de ser puxado para baixo num elástico, Jesus recebeu o nome que está acima de todo nome, Deus deu-lhe O nome. Para que todo joelho que estiver no céu, para que todo joelho na terra, e para que todo joelho debaixo da terra se dobre perante o glorioso nome de Cristo.


Mantendo-se na humildade, chegaremos na unidade, pois nos esvaziaremos de nós mesmos, e passaremos a viver para os outros. Viveremos como UM. Agiremos com um só propósito, por amor, com piedade. Como o Senhor quer que seja. Com amor puro e simples, com amor real, com o amor de Deus, dado a nós pelo Espírito. Viveremos como corpo. Como um.

Amem!
07.10.2014
d'Araújo (c) 


sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Quem tem promessa não morre!

Quem tem promessa não morre
Já ouviu essa frase muitas vezes, não é verdade? Mas, realmente, quem tem promessa de Deus não morre?

Quero argumentar rapidamente usando de provas esmagadoras para contra esta frase.

Com efeito, Deus nunca disse isto. Nunca disse "quem tem promessa não morre", e é vero que não há um versículo na Bíblia com estas palavras. Muitos já escreveram sobre este assunto, mas seria necessário apenas um versículo para provar o que dizemos.

"Todos estes ainda viveram pela fé, e morreram sem receber o que tinha sido prometido;"
Hebreus 11.13

 Muitos louvores foram escritos e entoados à Deus nestes termos errados. Se cremos realmente na Bíblia, devemos aceitá-la por completo, não apenas as partes que nos apraz.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Porque Deus 'deixa' que crianças morram violentamente?

A resposta é simples, curta e clara. Deus não interfere em tudo. 

O Senhor criou-nos e colocou-nos aqui. Entregou o governo nas mãos dos homens (homem relativo à humanidade), porém sempre esteve perto, resgatou-nos e se importou conosco. Porque Jesus morreu? Pelo interesse de Deus por nós mesmo depois de termos rejeitado Ele com coisas que O desagradam. O Governo é nosso e é o nosso Dever governar sabiamente. Ao invés de perguntar-nos porque Deus não faz nada, deveríamos mover-nos em favor daqueles que necessitam. Amor é um mandamento. 

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Israel Vilão?

Para não ficarmos indiferentes quanto à Guerra Judaico-Palestina, postarei um texto do dia 12 de Junho, escrito por Jaciara da Silva. Concordo com cada palavra escrita! Há no que se pensar!

A guerra em Israel, fatos a considerar:
1. Os palestinos é que começaram a lançar mísseis sobre Israel, que está revidando.E eu pergunto: quem não defenderia sua própria casa e família, contra o ladrão e assassino?

2. Há uma atitude absolutamente diferente entre os 2 povos. Quando soa o alarme em Israel, todos correm para os abrigos, eles tiram os velhos e crianças das áreas em conflito, nas ruas permanecem apenas os soldados. Ao revidar, Israel avisa os palestinos que as casas serão bombardeados. Eles tiram os homens fortes, que acreditam ser fundamentais para a sua luta, e enchem com mulheres, crianças e idosos, que serão seus mártires...

3. Muitos dizem que Israel recebe ajuda financeira dos Estados Unidos. É verdade! E daí ? Quanto dinheiro recebem os árabes por seu petróleo? Para onde vai esse dinheiro? Porque não melhoram a vida dos seus cidadãos e dos irmãos de sua fé (conforme determina o próprio Alcorão).

4. Aqui, longe dessa guerra, só nos resta orar para que haja Paz em Israel. Shalom Israel !

Matheus. 2 de Agosto de 2014.

sábado, 2 de agosto de 2014

lâmpada para meus pés é a Tua Palavra.


Ditadura dos Ofendidos

Olá novamente.
Desta vez, queremos abordar sobre uma teoria ideológica pouco aceita. Estive lendo por toda esta manhã e tarde sobre Geografia e Filosofia, e ocorreu de me deparar com o seguinte texto, do jurista e filósofo Norberto Bobbio "nestas últimas décadas a transformação das relações entre os sexos - que talvez seja a maior revolução de nossos tempos" (O Futuro da Democracia: uma defesa das regras do jogo) E ocorreu-me uma frase da qual não me recordo o autor, sobre a Ditadura dos Ofendidos. 

A Ditadura dos Ofendidos é entendida com exemplos. As moças belas não poderão se vestir bem em favor das feias, ou os donos de carros novos não poderão sair com seus carros para não ofender ou oprimir os que tem carros antigos ou ultrapassados. Pode até parecer tolice, por isso, aí vai mais um exemplo: Não posso sair com minha mulher em favor dos que não tem esposa. Isto muda as coisas? Ainda não? Pois não poderei sair calçado, em favor daqueles que andam descalços. Isto pareceu loucura. Porém é uma realidade.

Não poderemos olhar apenas às duplas (casal só pode ser casal com macho e fêmea) ou pares de pessoas do mesmo sexo, pois assim estaremos ofendendo-os. Perceberam? Isto é uma Ditadura, estão te tirando o direito de simplesmente olhar! De ver! Estamos sendo proibidos de falar contra o homossexualismo porque isto os ofende! Isso é uma Ditadura! Prestem atenção à sua volta.

Bobbio acertou ao dizer que foi uma revolução silenciosa algumas frases antes. Quando percebemos o que estava acontecendo, já havia Parada Gay, movimentos à favor da adoção de crianças por pares homossexuais, e estávamos em Xeque.

Ditadura pode ser um termo forte. Porém nas Ditaduras, uma pequena minoria tinha seus interesses defendidos. Hoje, em pleno século XXI, em meio a República Democrática, o Ministério de Minorias trabalha mais do que os órgãos públicos de Saúde, Transporte e Educação. Não é útil brotar de qualquer lugar com dados e números sobre escolas abertas e unidades SUS. É simples perceber que o que digo é verídico. Tente embarcar num ônibus em qualquer Capital movimentada às seis da tarde. Digo isto não porque vejo a notícias e fotos na Internet, mas porque vivo esta realidade.

É tempo de observar e reagir. Estamos vivendo uma Ditadura. A todos aqueles que odeiam o que aconteceu no período de 64-84, por favor, não deixem que se repita. Aos que a defendem, pensem nos valores morais que Figueiredo tinha, ou Geisel. Aprendam, cada um com seu ponto de vista.

Matheus d'Araújo para O Examinador. 2 de Agosto de 2014

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Ridículo?

Depois de muito tempo afastado e agora, retornando de uma reforma mental e ideológica, passei a refletir. Refletir em coisas simples, como argumentos. Falando em argumentos, existem muitos que tentam negar a existência de Deus, ser pessoal e dotado de decisão. Dos argumentos mais tolos (todos são) está o Eu não vejo Deus. É tolo. Isto é simplesmente tolo. Eu não posso ver é o argumento mais miserável que se pode usar! É uma frase como Não posso ver Marte ou Não vejo o Sol à noite. Ridículo o bastante como um cego dizer o mundo não existe, eu não o vejo. O Sol não existe, eu não o vejo, nem o ouço, nem sinto seu cheiro. Posso sentir seu calor, mas isso não quer dizer nada. Dizer que se sente Deus é algo realmente pouco experimentado. Porém acreditamos no átomo sem ter participado de experiências com ele.

Oras, aceitem os fatos! Perfeição e beleza não vem do acaso. Bater com um martelo numa pilha de pedras não construirá um castelo, nem que eu continue a bater de formas diferentes.

Gargalho ao lembrar do não posso vê-Lo! 
Haha! Fatos são inegáveis!